Cerilo – happy hour caprichado

Pensa em um happy hour caprichado. Agora multiplica isso por muito!

Pois é, assim foi o nosso singelo happy hour no Cerilo dia desses… Depois de duas ou três cevas a fome bateu e resolvemos radicalizar: carreteiro de charque, acompanhado de salada e feijão mexido. Dá uma olhada no “pequeno” prato…

Além de muito saboroso, ele serve umas quatro pessoas (éramos quatro e levamos quentinha pra casa)! E melhor, custa só R$39,00, ou coisa que o valha.

O Cerilo fica na Av. Venâncio Aires, bem na frente do Hospital de Pronto Socorro. A cerveja é bem gelada e a comida bem servida. Precisa mais?

Anúncios

Alex e os copos Lagoinha

Esse é o Alex. Como já havíamos comentado quando falamos sobre o Bar Estabelecimento no Comida di Buteco, esse cara merece um post à parte, só para ele.

Além de nos atender exemplarmente no bar, foi super simpático e solícito, e acabou contando um pouco mais da vida dele para  a gente.

O Alex, quando não está dando a maior força para o Estabelecimento bombar, está fazendo arte. Ele é um artista plástico que trabalha, principalmente, com cerâmica.

Neste trabalho, o artista se apropriou dos conhecidos copos Americanos, chamados em Belo Horizonte de copos Lagoinha, para experimentar com técnicas em cerâmica.

Como se não bastasse nos mostrar todo o seu talento, o Alex também nos deu uma caixinha com seis copos. Cada um de nós ficou com um – cada um, uma lembrança.

O Alex, ou Alex Santana, faz parte do projeto Arte e Cerâmica, desenvolvido pela ONG Contato. Para quem quiser saber mais, os telefones para falar com o Alex e com o pessoal da ONG são 31-91140946 e 31-91674897.

Bar Estabelecimento – Comida di Buteco

Nossa última parada no Comida di Buteco de Belo Horizonte foi o Bar Estabelecimento. A experiência começou já na porta, quando a Julie, hostess do lugar, nos recebeu super bem e com muita simpatia. Apesar do lugar estar cheio, conseguimos uma mesa rapidíssimo, e o Estabelecimento já começou a ganhar uns pontinhos conosco.

Para começar, pedimos uma cerveja, que estava gelada na medida, e fomos dar uma olhada no cardápio. O petisco oficial do bar, competindo pelo Comida di Buteco, foi apelidado de “Costelinha de Porco Espinho com Petit Queijô”. Dá uma olhada na descrição: costelinha empanada com macarrão cabelinho de anjo, acompanhando assado de batata com queijo minas e molho branco de queijo minas e limão.

O prato veio quentinho e cheio de sabor. Vale comentar que, para os mineiros que estavam no bar conosco, entre todos os lugares que fomos, esse foi o que apresentou o petisco mais com “a cara de Minas”.

A experiência foi mara, e o Alex, que nos atendeu, foi demais! Ele merece um post à parte, que será publicado em breve. Fora isso, nota 10 para o Bar Estabelecimento.

Parrilla en San Telmo

Compras no Mercado e parrilla na laje da Sofia!

Uma boa maneira de dar tchau pra Buenos Aires!

 

Published in: on 16/05/2012 at 21:13  Deixe um comentário  

Parrilla Mi Sueño

Durante minhas férias em Buenos Aires, fui obrigada a provar as parrillas de barraquinhas!  Só estando com moradores de lá pra descobrir esses almoços deliciosos, já que eu nem imaginava a existência dos tantos carrinhos de lanches na “beira” da reserva ecológica da cidade!

O esquema é genial: tu escolhe a carne que virá no pão (bondiola, vacio, chorizo, paty… tudo assado na hora, na parrilla), passa pelo buffet de acompanhamentos (chimichurri, mostarda, maionese, saladas, batata palha..) e depois é só comer – tarefa não tão fácil assim, já que o lanche tem um tamanho bem considerável!

Pra chegar na parrilla mi sueño é só atravessar a Puente de La Mujer e seguir até a reserva, passando a Av de Los Italianos… lanche digno pós caminhada nos vários km do porto!

Published in: on 15/05/2012 at 22:02  Deixe um comentário  
Tags: ,

Siga La Vaca II

Já falamos do Siga La Vaca por aqui, mas cada ida lá, merece um post! Na última semana fui passar uns dias em Buenos Aires e é claro que o restaurante estava no meu roteiro – não resisti e acabei indo comer por lá 2 vezes!

Com certeza, o melhor “buffet livre” que já fui… não só pela carne (que na Argentina costuma ser sempre muito boa), mas tb pelo preço, atendimento, localização (belo Puerto Madero!) e serviço – a idéia é a seguinte: bebida (uma jarra de refri/cerveja ou uma garrafa de vinho ou uma garrafa de água), parrilla liberada, buffet de salada, frios, arroz, purê, fritas, etc e uma sobremesa! De babar!

Linguiça, vazio, costela, bife de chorizo… Super recomendo para quem vai passar uns dias por Buenos!

De sobremesa, flan e panqueca de doce de leite – não tem erro!

Published in: on 15/05/2012 at 19:09  Deixe um comentário  
Tags: ,

Fazenda Barbanegra

Na sexta-feira, nosso amigo Pablo foi ao restaurante Fazenda Barbanegra para comprovar se realmente estava valendo o título de Melhor Carne, atribuído pela Veja Porto Alegre. Abaixo, nas palavras do Pablo, a avaliação da experiência…

1 – Manobrista é serviço do lugar;

2 – Cerveja Norteña de litro;

3 – Pãozinho show de bola;

4 – Garçom gente fina, conhece de carne e conhece os clientes = atendimento 10.

Entrada: linguiça fina e queijo parrillero. Muito bom. Servido naquelas travessas platinas que trazem um braseiro. Excelente.

Pedimos a paleta de cordeiro, sob encomenda, e o famoso Oriental da Barbanegra, entrecot com geleia de pimenta. Acompanhamento: arroz com limão e salada de batata. Tudo muito bom, arroz soltinho e ao mesmo tempo molhado (a física não permite!!!). Salada de batata feita como manda o figurino.

O entrecot é bem servido, 2 pessoas comem à saciedade. Apimentado na medida, nada que tire o bagualismo. A geleia nao é firme, é dissolvida no molho da carne. Tudo coberto por queijo. Muito, muito bom.

Na minha opinião, o superstar é a ovelha. Tudo bem, ovelha é uma carne polêmica, alguns amam, outros são imbecis. Bueno, a paleta veio inteira e foi despedaçada na nossa frente. Soltou completamente do osso, tanto que na hora de pegar, com aquele pegadorzinho, se desmanchava. Soltava como algodão doce. O tempero foi somente sal, nada de vinho com alho, essas coisas. O garçom disse que ficou umas 3 horas no fogo.

Segue uma foto do cardápio para ter uma noção, tanto do conteúdo como do preço.

 

AH!! o parrillero usa eucalipto, que dá um sabor defumado na carne. mais um toque especial.

Mais algumas fotos…

Olha, pelo jeito o restaurã foi aprovado. Valeu, Pablo!

Ah! E fica a dica: o bro também tem um blog – Torta de Realidade, no qual ele e um amigo versam sobre cinema. 

Bar Temático – Comida di Buteco

A experiência gastronômica no Bar Temático, participante do Comida di Buteco de Belo Horizonte, foi bastante satisfatória. O amarrado a base de ovos recheado com queijo canastra e carne de sol, banhado no molho vermelho, não decepcionou.

Confessamos que o prato demorou a chegar, mas de certa forma o sabor do petisco e a cerveja gelada da espera compensaram o tempo que ficamos lá plantados.

Ah! E fica a dica: faltava papel higiênico no banheiro feminino, e isso super conta pontos para a avaliação.

Fora isso, nada a reclamar… Acho que as fotos falam por si…

Bartiquim – Comida di Buteco

Apelidado de “Tô Veno Nada”, esse petisco do Bartiquim foi muito elogiado na nossa peregrinação pelos bares de Belo Horizonte. O bolinho (ou melhor, bolão) de carne recheado com queijo minas e tomate seco surpreende no sabor.

Segundo o pessoal que avaliou, a apresentação é ok, mas na hora de degustar, a coisa passa para outro nível. No fim, não precisa ver nada mesmo, e sim, sentir a gostosura desse prato.

Patorroco – Comida di Buteco

Nossa peregrinação pelos botecos de Belo Horizonte começou pelo bar Patorroco, no Prado.  Com base no tema “queijo” desse ano no Comida di Buteco 2012, o local ofereceu um chancliche com queijo minas temperado e lagarto na conserva.

O prato estava muuuito saboroso! Só esqueceram de colocar as azeitonas, que estavam na foto do cardápio mas não deram o ar da graça no prato que veio para a mesa. De qualquer forma, adoramos o petisco!

%d blogueiros gostam disto: